Notícias

Letras

JOVENS SEM COMPROMISSO
(Luí Sales Jr.)

Vasculho o meu passado
E lembro de coisas que não precisava lembrar...

O que adianta eu tentar esquecer
As sombras do passado que o presente faz rever?
E o meu orgulho que nunca me deixa parar pra pensar
No que vou dizer...No que vou fazer

Penso ou não penso no que eu posso fazer
Para além de mim, você também poder crescer
Dizem que somos jovens
Jovens sem compromisso
Não vamos deixar que cuidem de nossas vidas
Nem dos nossos destinos

Às vezes tenho idéias.
E o que adianta tê-las?
Pensam em mim como um revolucionário
E surge sempre alguém pra detê-las

Ter opinião própria
nos faz capaz de agir
A vida nos ensina todo dia um caminho,
Escolha aquele que queira seguir

Pois que seja o certo, é você no deserto...

Penso ou não penso no que eu posso fazer
Para além de mim, você também poder crescer
Dizem que somos jovens
Jovens sem compromisso
Não vamos deixar que cuidem de nossas vidas
Nem dos nossos destinos.



VÃ ESPERANÇA
(Luí Sales Jr.)

Não sou eu quem vai julgar
Entre o certo e o errado
Não sou eu quem vai lembrar
Os momentos do passado

Pela janela a noite sombria
Lá fora uma chuva tão fina, tão fria
E em minha memória vêem sonhos que tive
Sonhei com mudanças, sonhei em ser livre

Olho o relógio e a hora a passar
Vi nos seus olhos toda a indiferença
Sua máscara cai, ante a minha presença

Vivendo em constante conflito com a vida e como me sinto
Amigos vão sem avisar, o que podemos fazer?
Só nos resta chorar.

As mágoas da vida, de um passado distante
Eu tento esquecer, mas você não me dá chance, não

Não, não, não!

Você se lembra quando tudo começou?
Nossa viagem regada à paixão e bastante Rock & Roll

Mas o que adianta relembrar tudo isso agora
Pois foi quando mais precisei que você...Você foi embora

Escrevo uma música e digo o seu nome
Mesmo sabendo, você esta tão longe
Minha vã esperança não passa mais de uma boa lembrança



NA CONTRAMÃO
(Demylson Pereira)

Acordo cedo todo dia.
Vou trabalhar na contramão.
Os passageiros desesperados.
Acaba tudo em confusão.

Dias e noites passam.
Eu continuo na ilusão.
Os gatos sobem no telhado.
Eu continuo na contramão.

Eu sempre cheguei tarde,
Mas hoje vou mudar, Ah Ah
Todo dia a mesma coisa,
Começo a me irritar
Quero ir pra casa agora.
De pressa, sem demora.
Não vejo a hora de chegar.

Nada adiantou então,
Continuo na contramão.
Somente eu desempregado,
Achar sozinho a solução.

"Tô" ficando maluco, "tô" ficando biruta,
"tô" ficando doidão, na contramão. (2x)

Eu sempre cheguei tarde,
Mas hoje vou mudar, Ah Ah
Todo dia a mesma coisa,
Começo a me irritar
Quero ir pra casa agora.
De pressa, sem demora.
Não vejo a hora de chegar.
Não vejo a hora de chegar.



FLORES FALSAS PARTE III
(Marlo George)

Levando a vida tentando encontrar
Um lugar tranquilo ou bem longe do mar
Quem sabe um amor de aluguel
Flores falsas pra regar.

Se eu vivesse mais um dia
Iria tirar esse pouco tempo pra mim
Pois me perdi com erros e ilusões
E agora estou chegando ao fim.

Se eu pudesse evitar...
Se eu pudesse evitar...
Vou ter que encarar...
O fim!

Pensando em tudo que se passou
Me assombram promessas que eu não cumpri
Também aquele lance que "cê" me falou
Até agora eu não entendi.

Se eu vivesse mais um dia
Tentaria suportar até o anoitecer
Milhares de estrelas para contar
Nenhuma delas a me notar.

Se eu pudesse evitar...
Se eu pudesse evitar...
Vou ter que encarar...
O fim!



NADA ACONTECE POR ACASO
(Demylson Pereira)

E me pergunto o que será?
Não sei dizer
Só sei que estou a observar você

Menina linda
Rara beleza da natureza

Quando me acontece algo "desse" jeito
Fico pensando: Será que é justo comigo?
Hum, hum...

Pode ser por coisas que fiz no passado
E quero me esquecer, mas isto não se apaga
E nem se apagará

Não digo porque? Nem...
Devo saber
Mas sei que um dia poderei te dizer

Não digo porque? Nem...
Devo saber
Mas sei que um dia poderei te dizer

Nada acontece por acaso
Quando pensei que tudo estaria perdido
Algo aconteceu, então
De repente não sabendo o motivo
E nem a razão
Me entreguei inteiro nas suas mãos



DANÇA DO FOGO
(Jean Veríssimo)

Hey! Olha pra mim!
Eu sou assim! Não sou ruim!

Eu! Vou te mostrar!
Tu vai gostar! Quando começar!

Yeah! Dança do fogo!
Yeah! Vamos dançar!

Hey! Tu é real!
Se acha a tal! Mas não faz mal!

Fica! Aí na sua!
Não vai à rua! Pra não se machucar!

Yeah! Dança do fogo!
Yeah! Vamos dançar!

Hey! Tu é real!
Com seu jeito fatal!
E coisa e tal!

Eu! Vou te mostrar!
Tu vai gostar!
Quando começar!

Yeah! Dança do fogo!
Yeah! Vamos dançar!

Yeah! Dança do fogo!
Yeah! Vamos dançar!



MEDO DE SE IMPOR
(Luí Sales Jr.)

Tramas pelos becos da cidade
Revoltas por todos os lugares
Paz, vai demorar a acontecer
Enquanto o money neste mundo insistir em prevalecer

Vamos perder a esperança de viver
Se o tempo que nós temos está sempre a correr
O povo é enganado por seu medo de se impor
Não há como esquecer ou suportar a dor

Guerras!!!
Pra quem faz é brincadeira
Fizeram duas, já pensam na terceira,
Mas a verdade é que isso tudo é puro esporte
Onde quem joga, aposta com a nossa sorte

Ditadura, fascismo ou qualquer forma de poder
Nos levam à revolta e botam tudo a perder,
O povo enganado é masoquista e sofre a dor
Não sabe o que fazer por seu medo de se impor

Tramas!!!
Na ponta da caneta
E no planalto, fraudes na gaveta
Aprovadas com assinaturas de imbecis
Que se dizem os governantes do país

Vamos perder a esperança no país
Que tem como alegria ver seu povo infeliz
Deprimido, reprimido, mas quem sabe por amor
Esse povo um dia perca o medo de se impor



PIOR CEGO
(Luí Sales Jr.)

Esse sol que está brilhando lá fora agora.
E embeleza a sua cidade pro inglês poder ver.
Mas dessa chuva que inunda e destrói nossas vidas a toda hora.
Você fecha seus olhos ignora os fatos e não quer nem saber.

Não quer nem saber. Não quer nem saber.

O que passam pelas ondas do rádio e nas antenas da minha e da sua tv.
A sensação de estarmos presos em um grande arsenal.
Pois todo dia eu vejo um daqueles calhordas,
Pagos por mim para me defender.
Condenados com sua cara exposta na primeira página do jornal

Condenado e sorrindo. Amanhã estará fugindo

Estás cega apesar de olhar ao seu redor
cega apesar de enxergar que o que há de pior
Está a um palmo do seu nariz
E não vês o estrago que causa ao país
Tão cega, nos faz perceber
Que o pior cego é realmente aquele... Que não quer ver!

A bala perdida que sai do revólver sem registro legal.
Nos mostra a dor solitária da família que vê seu filho ao chão.
Mas ninguém liga é caso de rotina, mais uma ocorrência policial
E não se admire se aquela chacina fora comandada por um oficial

O caso é arquivado. É caso encerrado.

Pais discutem e se espancam sem notar a presença
do filho na sala com um olhar de pavor.
Também maltratado, também agredido seja qual for o motivo.
Essa justiça tão cega condena inocentes, absolve inconsequentes
Tudo muito normal
Bateu-se o martelo, não cabe recursos
e o próximo caso vai ser tudo igual



DEMAGOGIA
(Luí Sales Jr.)

Não que eu não acredite.
Paciência tem limite.
A verdade é tudo que eu espero.
Demagogia eu não quero.

Da justiça do seu Deus você tornou-se réu.
Você destruiu as suas idéias como quem rasga um
papel.

Suas leis, hoje tão ordinárias são fracassos.
Batalhas perdidas.
E você destruiu o que houve de bom na sua vida.
E você não se contenta e quer destruir a minha
também.

Não! Eu não acredito que o que você diz.
Tenha que ser escrito.
Ideologias nós até aceitamos,
Mas dessa demagogia,
Não precisamos.

Não!!!!

Você começou me ensinando.
E na sua eu fui entrando,
Mas agora a vida é minha e os planos são meus.
Apesar de você fazer valer a autoridade dos seus.

Você começou me ensinando.
E na sua eu fui entrando,
Mas agora a vida é minha e os planos são meus.
Apesar de você fazer valer a autoridade dos seus.

Não que eu não acredite.
Paciência tem limite.
A verdade é tudo que eu espero.
Demagogia eu não quero.

Não que eu não acredite.
Paciência tem limite.
A verdade é tudo que eu espero.
Demagogia eu não quero.



PRA NÃO MAIS VOLTAR
(Demylson Pereira)

Sob efeito de drogas pesadas
De pico na veia, agulhas à entrar
Cigarros macabros...
Papelotes são jogados sob a mesa de um bar

Balanças expostas
Colheres, amostras
Tudo embalado para traficar
Jovens doentes, já são dependentes
de drogas pesadas, não querem parar...

Muitos tentam resistir, mas não sabem como agir
Querendo parar com as drogas...
Largar o vício
Pra não mais voltar
Muitos tentam desistir, mas não sabem como agir
Querendo parar com as drogas...
Largar o vício
Pra não mais voltar

Sempre drogados e alucinados
Sedentos por alcool, procuram um bar
Bebidas na mesa, mulheres ao lado
Começam então a se embriagar

Há algo de errado...
Somente com alcool não dá pra ficar
Entram no banheiro, se trancam por dentro
E logo em seguida começam a cheirar

Muitos tentam resistir, mas não sabem como agir
Querendo parar com as drogas...
Largar o vício
Pra não mais voltar
Muitos tentam desistir, mas não sabem como agir
Querendo parar com as drogas...
Largar o vício
Pra não mais voltar